Neverending Nightmares é um jogo de terror desenvolvido pela Infinitap Games. É inspirado pelas lutas pessoais de seu criador, Matt Gilgenbach, com transtorno obsessivo-compulsivo e depressão. Em uma entrevista, ele afirmou que estava tentando criar esse sentimento de desolação e desesperança em Neverending Nightmares. O jogo conta com versões para Microsoft Windows, Playstation 4, Playstation Vita, Android, e foi lançado oficialmente em 26 de Setembro de 2014.

O jogador assume o papel de Thomas, um homem que “acorda” de um pesadelo e em outros, sucessivamente. À medida que o jogador controla Thomas durante o jogo, os pesadelos se tornam cada vez piores, e o mesmo pode ser dito dos monstros horríveis que se escondem dentro deles. Cada vez que o personagem morre em um pesadelo, ele se depara com uma séria cena de forte depressão ou comete a si mesmo algum ato de autoflagelação, que o faz “acordar” novamente no mesmo pesadelo, ou em um diferente e muito pior. Isso também funciona como ponto de verificação e sistema de salvamento do progresso do jogo. O jogo contém um total de três finais diferentes, todos influenciadas pelas ações do jogador e seus atos em cada um dos pesadelos.

Thomas é uma pessoa problemática, que continua presa ao seu misterioso passado envolvendo a sua irmã, e entre muitos pesadelos, o jogo conta aos poucos sobre a psiquê do protagonista e o que ele realmente fez. Um exemplo disso é uma das primeiras cenas que mostra Thomas dando facadas em sua irmã. A cada pesadelo que se passa, ele entra mais fundo na escuridão física de sua mente.

O jogo apresenta um estilo de arte de linha 2D desenhado à mão. Há também uma interface de usuário minimalista, com carregamentos de telas durante o jogo que ajudam a aumentar a tensão. Fica bastante claro durante o jogo que este se passa no final dos anos 1800, e o jogador deve explorar vários locais diferentes, que incluem: uma mansão, um cemitério, um asilo insano, uma floresta e um hospital.

Alguns detalhes aparecem no jogo como uma forma de causar desconforto, como palavras nas paredes chamando o personagem de assassino, ou tripas espalhadas pelos cenários. O senso de perigo é constante, mantendo o jogador sempre com a sensação de que alguém irá aparecer de algum lugar e matar seu personagem.

O estilo de terror psicológico que Neverending Nightmares traz se complementa com a sua jogabilidade, diferente dos outros jogos que tomam uma perspectiva de primeira ou em terceira pessoa, ele é um 2D sidescroller igual aos antigos beat’em ups. E por mais estranho que pareça, a tensão aumenta ainda mais pela forma que a câmera é imposta, tendo que mover o protagonista no ponto mais à frente possível para que a tela se mova, além de todos as pequenas mecânicas que foram implementadas na jogabilidade, como o seu minimalismo, ritmo do personagem ao andar e o próprio clima em cada cenário.

Thomas é um personagem fisicamente fraco, que sofre de asma e perde o fôlego muito rápido. Sua respiração nesses momentos é tão estressante que chega a causar certa agonia. A fraqueza do personagem torna o ritmo do jogo lento, o que pode irritar alguns jogadores.

Neverending Nightmares traz uma experiência curta, porém claustrofóbica e angustiante a ponto de causar arrepios. É um convite para explorar a intimidade de uma pessoa que sofreu de TOC e depressão na vida real, expressados na forma de um jogo. Quem estiver na procura de bons sustos e pensamentos sombrios, achará aqui uma boa companhia por toda a madrugada.

Anúncios

Deixe uma resposta