Condemned 2: Bloodshot é um jogo de sobrevivência e terror psicológico, desenvolvido pela Monolith Productions e publicado pela Sega para os consoles PlayStation 3 e Xbox 360, lançado em março de 2008. É a sequência do jogo Condemned: Criminal Origins, de 2005.

O jogo é todo em primeira pessoa, dando ênfase no terror e sobrevivência. Implementando novos elementos e melhorando as mecânicas de seu antecessor, o título melhora significativamente o sistema de luta, implementando sequências de socos, chutes e agarrões.

O jogador novamente está na pele de Ethan Thomas, que, após os eventos de Condemned: Crime Origins, vem lutando contra seus demônios internos e apresentando um comportamento bastante agressivo. O ex-investigador, entretanto, é chamado de volta ao cargo para investigar o sumiço de seu antigo parceiro, e acaba entrando de cabeça em uma aventura ainda mais assombrosa que a anterior.

Em Condemned 2: Bloodshot, o cenário cumpre um papel fundamental na jogabilidade. É possível desde arrancar um cano solto e utilizá-lo como arma até simplesmente empurrar a cabeça de um de seus adversários contra um aparelho de TV. Há ao todo mais de trinta armas que vão de tijolos a porretes, além de mais de dez armas de fogo.

Uma mecânica que sofreu alterações foi a de investigação. Agora, além de coletar informações sobre cenas de crime e vítimas, é possível tirar algumas conclusões e deduções a partir do que foi encontrado, e verificar se a natureza do crime é algo que pode render pontos de upgrade para o personagem, que posteriormente podem ser usados para melhorar a eficiência em combate do mesmo.

Outra evolução em Bloodshoot está no fato de contar com um modo multiplayer online, que apesar de um tanto quanto banal, não deixa de ser uma adição interessante ao jogo. São quatro modos de jogo: Deathmatch, Team Deathmatch, Bum Rush e Crime Scenes. Deathmatch e Team Deathmatch são um tanto diferentes do habitual: como os combates de Condemned são quase sempre corpo-a-corpo, no multiplayer tudo acaba ficando um pouco confuso, como jogar Counter Strike só na faca.

A ambientação é muito bem determinada pelos ambientes escuros e abafados do jogo, que requerem que o jogador deixe a lanterna ligada o tempo todo. Os efeitos de luz e sombra colaboram nesse ponto, e fica claro uma certa superioridade dos visuais desse jogo em relação ao anterior. Mas existem algumas falhas na questão visual: a física às vezes parece tão sobrenatural quanto o enredo, e muitas vezes alguns efeitos decepcionam nesse aspecto. Outro defeito nesse quesito são algumas animações dos personagens, que aparentam levemente travadas ou robóticas demais.

Sonoramente, esta continuação é excelente. A trilha sonora segue a atmosfera punk-gótica de outrora e apesar do estilo não agradar a todos, é incontestável que as músicas sejam de qualidade. O mesmo vale para as dublagens e demais efeitos sonoros.

Condemned 2 oferece a mesma fórmula que fez o primeiro jogo um sucesso e aborda todas as críticas dirigidas à franquia com sucesso na maioria das áreas. Não é a sequência perfeita, mas cumpre seu propósito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s