Star Wars (no Brasil, Guerra nas Estrelas), mais tarde relançado como Star Wars: Episode IV – A New Hope (no Brasil, Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança), é um filme de ficção norte-americano. Foi o primeiro da saga homônima a ser lançado em 25 de maio de 1977, e o quarto na ordem cronológica da trama, escrito e dirigido por George Lucas.

Foi a maior bilheteria de todos os tempos na época, arrecadando mais de US$ 775 milhões. A produção, que atualmente é a 75ª maior bilheteria da história, quando ajustada pela inflação é a segunda maior bilheteria na América do Norte e a terceira maior bilheteria no mundo. Entre os muitos prêmios que o filme recebeu, teve dez nomeações ao Óscar, vencendo sete; as indicações incluíram Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator Coadjuvante para Alec Guinness e Melhor Roteiro Original. Star Wars é classificado como um dos melhores filmes de ficção científica já feito, e é considerado pelos críticos como o marco de início da “Era dos Blockbusters”, em que o cinema hollywoodiano passaria a cada vez mais a se voltar aos efeitos visuais.

Os Cavaleiros Jedi foram exterminados e o Império governa a galáxia com punho de ferro. Um pequeno grupo de Rebeldes atreveu-se a dar resposta, roubando os planos secretos da mais temível e poderosa arma imperial, a estação de balhata Estrela da Morte. O mais fiel súbdito do Imperador, Darth Vader, deve encontrar os planos, e localizar a base Rebelde escondida. A Princesa Leia, uma líder Rebelde capturada, envia uma mensagem de ajuda, que é interceptada por um simples rapaz do campo, Luke Skywalker. Cumprindo o seu próprio destino, Luke aceita o desafio de salvar a Princesa e ajudar a Rebelião a derrubar o Império, com a ajuda de aliados tão inesquecíveis como o sensato e experiente Obi-Wan Kenobi, o convencido Han Solo, o leal Chewbacca, e os andróides R2-D2 e C-3PO.

Percebe-se nessa parte do primeiro ato que Luke é bastante curioso e reticente quanto ao seu desconhecido passado. Seus tios escondem ao máximo quem de fato foram seus pais. Ao descobrir que o nobre e sábio Obi-Wan Kenobi é na verdade, um cavaleiro Jedi, que uma vez já lutou ao lado do pai de Luke, então o garoto fica louco por mais informações a respeito de seu pai. No entanto, o encontro de Luke e seu pai poderia mudar o destino da galáxia para sempre, e Obi-Wan sabia disso.

O roteiro demora um pouco para começar, mas a construção dos personagens e do cenário é muito bem feita. Uma vez construídos e sólidos em aparência e conceito, a narrativa progride com velocidade e muita ação. Os picos emocionais dos heróis são os pontos chave da narrativa, todos possuem uma curva dramática perfeita: Luke Skywalker segue seu destino com paixão e torna-se quem sempre foi dentro de seu coração. Han Solo descobre que é mais que um mercenário tolo. Leia passa de princesa indefesa à guerreira. R2-D2 e C-3PO descobrem uma amizade inabalável. Obi-Wan passa de esquecido a guerreiro fundamental. Chewbacca de alienígena quase irracional a companheiro e guerreiro.

Star Wars beira a perfeição por diversos motivos. A começar pela trilha sonora certeira de John Williams que, responsável por diversos clássicos do cinema, emplacou pelos menos outros três grandes sucessos só nesse filme. O jovem Harrison Ford definiu para sempre seu personagem Han Solo. A elegância de Alec Guiness traz serenidade ao velho Obi-Wan. Carrie Fisher como a princesa Leia que não teme a nada. O ameaçador Darth Vader tornou-se um dos maiores vilões da história do cinema por ser a personificação do mal, com seu traje e capacete negro, a voz firme e ameaçadora de James Earl Jones e seu sabre de luz vermelha.

Entre os muitos pontos incríveis estão a veracidade das amizades, geralmente organizadas em duplas: R2-D2 e C-3PO com suas brigas constantes são diversão garantida o tempo todo. A disputa de Luke e Han pela atenção de Leia é também verdadeira e cria identidade imediatamente com o expectador. A personalidade de Chewbacca e sua amizade com o grosseiro Han Solo, soa por vezes como um animal de estimação e outras como um amigo com muita intimidade. A paternalidade de Obi-Wan com Luke é um ponto forte. A arrogância de Darth Vader em contrapeso com a ingenuidade de Skywalker dão simetria à narrativa.

O formato do sabre de luz é importantíssimo quando pensamos em toda a teoria Jedi criada por Lucas. Em um futuro onde as mais destruidoras armas de tiro podem ser construídas, os Jedi se portam de sabres de luz pelo simples fato deles serem uma arma de defesa, e não de ataque. Os Jedi nunca atacam gratuitamente e também não sentem ódio.

A biodiversidade chega a ser absurda aqui. Diversas raças de alienígenas convivendo entre si. Temos também os designs da produção, desde o figurino dos protagonistas, passando por toda a arte proposta ao Império, onde quase tudo é de cor escura, porém muito belo. E o que falar das naves? O Star Destroyer cruzando a tela logo na primeira cena, os Tie Fighters, caças imperiais rápidos, mortais e dotados de nenhuma aerodinâmica e ainda temos a Millennium Falcon, a nave de Han Solo. E também há espaço para destacar a sonoplastia, uma vez que o impacto poderia ter sido bem menor se os sabres de luz, as naves e o restante das armas não tivesses aqueles sons tão característicos.

A fotografia de Gilbert Taylor destaca cores sem vida no planeta Tatooine, conferindo um visual árido, que reflete a vida dura daquelas pessoas constantemente ameaçadas pelo império. Por outro lado, quando a ação se passa na nave de Darth Vader, a fotografia sombria, que destaca o azul escuro e o preto, representa a maldade que paira sobre o local. Todo este cuidado com o aspecto visual é impressionante, desde as inúmeras criaturas que cruzam pela narrativa até as imponentes naves que cortam em alta velocidade o espaço, atestando a qualidade dos sensacionais efeitos visuais da Industrial Light & Magic. E obviamente, as sequências de perseguição e combate no espaço marcam alguns dos grandes momentos do longa.

Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança (que inicialmente era apenas Star Wars) é um marco na história. Mesclando ficção científica com aventura, nos apresentando personagens espetaculares, incluindo um vilão incrível, uma trilha sonora histórica e o início de uma saga, sua história marcou gerações. Até hoje é amado por muitos que dizem este ser o melhor filme, ou saga, da história do cinema. Assistir Star Wars é uma experiência maravilhosa que qualquer um deveria ter.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s