Uma aventura emocionante que levará você de volta aos anos 80!

Crossing Souls é um jogo de ação e aventura, desenvolvido pela Fourattic e publicado pela Devolver Digital para as plataformas Microsoft Windows, macOS, Linux, PlayStation 4 e PlayStation Vita. Este foi lançado mundialmente no dia 13 de fevereiro de 2018.

É 1986 na cidade de Tajunga e um grupo de amigos viverá o verão de suas vidas depois da misteriosa descoberta de um artefato cujos poderes desafiam as leis da natureza e de alguma forma eles interagirão entre dois planos da realidade: a vida e a morte.

A curiosidade deles desencadeará uma série de eventos inesperados que os envolverão em uma conspiração do governo, devido aos planos malignos de um louco general do Exército dos Estados Unidos.

Neste grupo de amigos, temos: Chris Williams, Matthew Bauer, “Big” Joe Carter, Charlene Baker e Kevin Williams. Chris é rapaz mais ágil do grupo, sendo também capaz de escalar alguns tipos de superfície sem esforço. Ele é como um líder para o grupo, e utiliza um taco de beisebol como arma, presente de seu pai. Mathew é garoto mais inteligente do grupo e, graças às suas invenções caseiras, pode voar curtas distâncias e disparar projéteis de energia a longa distância, além de ter criado a “Máquina Duat”, que serve para manter dentro de si o artefato misterioso que eles encontraram e assim, utiliza-lo para poderem interagir com o além. “Big” Joe é o gordinho mais forte e amado do grupo. Apesar de lento, seus punhos causam grande dor aos seus inimigos, e ele também é capaz de mover objetos pesados.

Charlene é a única moça no grupo e não leva desaforo para casa. Além de incrivelmente rápida, ela sabe transformar uma corda de pular em um chicote letal ou uma catapulta para arremessar a si própria para outro local. Kevin é irmão mais novo de Chris e é um sem vergonha de primeira que sempre acaba se metendo em confusão. Falando em confusão, há uma deturpada gangue chamada Purple Skull, cujo degenerado líder é conhecido pelo nome “Quincy Queen”. Os membros desta gangue eventualmente irão atrapalhar os planos dos garotos em sua jornada de descobertas.

O jogo possui um estilo visual clássico de arte pixelada com câmera de visão aérea ortogonal. As cores são vibrantes, mas para os momentos em que o grupo de amigos utilizam o artefato para poderem ver os mortos, as cores são mais escuras, e por conta disso a ambientação fica com um clima mais pesado. Para algumas cenas, rola uma animação especial utilizando um estilo que remete aos desenhos dos anos 80, além da trilha sonora original que também é inspirada naquela época.

Crossing Souls é construído em formato sandbox e o jogador deve explorar e, eventualmente, descobrir novas áreas e encontrar pistas para a sua tarefa atual. Essas tarefas são vinculadas a enigmas, que são resolvidos de diferentes maneiras. O mundo dos mortos dá ao jogador novas passagens e a capacidade de interagir com os espíritos dos mortos. Ambos, mortos e vivos, entregarão dicas e tarefas para ajudar o jogador em sua missão. Outra forma em que os enigmas são resolvidos é através de combates, em que o jogador se envolve em uma situação onde precisa derrotar um ou vários inimigos para prosseguir através de uma passagem protegida ou adquirir um item relevante. Vale ressaltar que o jogo utiliza um angulo de câmera único para algumas lutas e, em alguns momentos, o jogo até se torna uma espécie de Beat ‘em Up clássico.

Há também alguns enigmas de lógica, como por exemplo o simples ato de empurrar um objeto para descobrir ou interromper algum mecanismo. Cada um dos cinco personagens tem diferentes habilidades e armas, dando ao jogador a tarefa de alternar entre eles e usar suas especificações para poder continuar ou completar uma determinada ação. No final de um nível, aparecerá um chefe ou grande personalidade dos mortos, para lutar ou guiar os personagens em algum desafio.

Durante o jogo, é possível ver inúmeras referências aos mais variados tipos de mídia interativa dos anos 80, além do grupo de jovens lembrar bastante a rapaziada do filme “Os Goonies”. A interação entre eles também é muito bem desenvolvida logo no começo do jogo, fazendo com que o jogador realmente se importe com aqueles personagens e até mesmo ache graça de suas brincadeiras.

Crossing Souls é uma obra divertida e ideal para entusiastas dos anos 80, mas que também encantará até mesmo o público mais jovem, que desconhece as mídias da época que tanto são mencionadas aqui. Personagens muito bem construídos e uma história divertida e envolvente faz com que este indie magnifico seja uma compra obrigatória.


PRÓS

+ Enredo divertido e envolvente

+ Visual retrô extremamente caprichado

+ É possível controlar todos os personagens do grupo

+ Personagens bem construídos e ótima interação entre os mesmos

+ Diversas mecânicas e ações diferentes a se fazer

+ Controles fáceis de aprender


CONTRAS

– Em momentos em que é preciso controlar dois personagens ao mesmo tempo, o jogo pode se tornar cansativo

– Alguns puzzles podem quebrar a imersão na história

Ao retornar após morrer, é necessário rever todas as falas


NOTAL FINAL: 9,9

Jogo analisado no PS4 com o código fornecido pela Devolver Digital.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s