ARK Park é um jogo em realidade virtual desenvolvido e publicado pela Snail para as plataformas PlayStation 4 e Microsoft Windows, lançado no dia 22 de março de 2018. Esta é uma aventura de realidade virtual, permitindo que os jogadores se aproximem dos dinossauros e de seus ambientes primitivos.

O jogo é dividido em três tipos de jogo: exploração, combate e uma seção de criação. Cada modo soa bem no papel, até a percepção de que nenhum desses modos tem qualquer substância ou desafio real. As seções de combate parecem rudimentares comparadas a qualquer jogo de tiro VR antes dele. O tiroteio é um caso simples de apontar e atirar sem nenhuma tentativa de fazer mecânicas de recarga complexas e os inimigos simplesmente correm para o ponto que você está defendendo sem nenhuma inteligência e assimilação artificial. Existem alguns chefes que aparecem e soltam os ovos para a seção de reprodução, mas caso contrário, não há razão duradoura para retornar a eles, uma vez que você os destrua em uma hora.

A parte talvez mais interessante em ARK Park é o modo de exploração. Entretanto, esse modo se parece mais com um museu, projetado apenas para exibir os incríveis recursos da ARK. Esses dioramas de dinossauros variam ao longo de vários estágios e, infelizmente, isso se torna uma grande mistura. O objetivo principal dos estágios de exploração é coletar dados de DNA dos habitantes desse mundo primitivo utilizando um scanner, que desbloqueia elementos de criação deste modo. O primeiro estágio é bastante promissor, já que vasculhamos os arredores de uma área pantanosa. Ao manipular o ambiente puxando trepadeiras ou atirando pedras, você pode persuadir os dinossauros a se esconderem, para que você possa coletar seus dados de maneira vagamente pontual e simples. Infelizmente, isso não continua, já que o próximo estágio o vê em um jipe ​​com um motorista robótico que simplesmente não cala a boca. A exploração livre é removida para este estágio, pois você é simplesmente conduzido enquanto os dinossauros correm ou entram em brigas enquanto você passa.

Por último, a seção de criação e reprodução é onde tudo deve se unir. Todos os materiais de artesanato e ovos são usados ​​aqui para criar sua própria visão do ARK Park. Novamente, isso não é nada para escrever sobre como a porção mais atraente deste modo é que você consegue montar os dinossauros que você cria a partir dos ovos. Parece que esse modo foi projetado para ter mais do que isso e certamente há uma sugestão de mais conteúdo chegando, especialmente com a isca de microtransação mais cínica e flagrante que eu vi em um jogo desse gênero, mas parece que existe simplesmente não é nada aqui que é capaz de manter o apelo por mais tempo do que o ataque inicial de colírio para os olhos.

Não ajuda, então, que com conteúdo limitado vem alguns dos piores sistemas de controle que já experimentei em um título de realidade virtual. O ARK Park foi projetado para funcionar com o controle PlayStation Move ou Dualshock 4. No entanto, não se deixe enganar por exemplos anteriores de jogos de VR que oferecem essa opção. Há muito pouca diferença fundamental entre os esquemas de controle. Geralmente é esperado que, se usar os controles Move, que você seria capaz de desfrutar de uma sensação mais realista, mas o único tipo de gameplay que melhora com este método é o disparo. Seleção de menu, interação com dinossauros e praticamente tudo é ditada pela pequena retícula que é baseada na posição da sua cabeça. Isso faz com que o gerenciamento de estoque seja um desastre absoluto para navegar, pois o menu para isso aparece à sua frente em um deck, com seu posicionamento muito próximo ao seu corpo, o que geralmente significa pressionar o queixo no peito para poder ver e selecionar os itens de que você precisa. Se isso fosse manipulável com suas mãos como em todos os outros jogos de VR que suportam o esquema de controle, isso não seria um problema, mas devido a essa escolha mal considerada, tudo é uma tarefa dolorosa.

Além disso, há problemas técnicos que permanecem no jogo que tornam a experiência ainda mais irritante. Menus que não fecham ou ficam tremendo, itens e animais que desaparecem ou seguem caminhos errados durante o combate, sons em momentos errados, entre outras coisas.

Simplificando, o jogo tem bons recursos visuais e ativos, mas como um jogo autônomo na franquia Ark, ele falha completamente em cumprir o que promete. Simplesmente não há o suficiente aqui para se envolver por mais do que uma jogada inicial. Para um jogo de realidade virtual com preço altíssimo e que lançou como o que muitos considerariam um jogo AAA devido ao marketing do mesmo, ARK Park simplesmente não é bom o suficiente.


Prós

+ Visuais bastante impressionantes, com alguns locais de destaque em relação a outros


Contras

– Seções de tiro são obsoletos
– A exploração é severamente limitada
– Nenhum valor de replay
– Variados bugs em diferentes momentos do jogo.
– Controles horríveis
– Parece incompleto


NOTA FINAL: 3.0 / 10.0

Analisado no Playstation 4

com código de jogo fornecido pela Snail.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s