Em 2008 tivemos a estreia de Homem de Ferro, o primeiro filme a integrar o que hoje conhecemos como Universo Cinematográfico Marvel. Onze anos se passaram desde que Tony Stark foi apresentado à Iniciativa Vingadores, uma jornada e tanto. Quem imaginaria assistir Guardiões da Galáxia ou Pantera Negra nos cinemas? Com a responsabilidade de reunir todos os personagens apresentados durante todos esses anos e encerrar um ciclo, temos a estreia de Vingadores: Ultimato. Será que ele entrega o que promete? Confira abaixo!

Não entrarei em detalhes reveladores do enredo, então não se preocupe. Sua experiência não será de forma alguma prejudicada.

O filme é claramente dividido em três atos. O primeiro começa diretamente após os eventos de Vingadores: Guerra Infinita, com os heróis lidando com a perda de seus amigos e entes queridos e lambendo suas feridas. Ele é dinâmico e bastante emotivo.

Já o segundo, o mais longo e também o mais fraco, coloca em prática o plano dos Vingadores para desfazer os efeitos do estalar de dedos de Thanos. Além de lento, dura muito mais do que deveria. Foi justamente nele em que diversas pessoas saíram momentaneamente da sessão para ir ao banheiro, inclusive. O maior mérito do segundo terço do filme é que podemos revisitar cenários já familiares para os fãs dos filmes da Marvel. Ele foi realmente feito para quem acompanhou o desenvolvimento do Universo Cinematográfico Marvel, mas acabada se perdendo no ritmo, com pouca ação e soluções convenientes para justificar a conclusão do filme.

Agora, o terceiro e último ato, marcado pelo embate final contra Thanos e seu exército, é realmente de tirar o fôlego. A direção e a coreografia das cenas de luta é fenomenal, digna dos irmãos Russo. Uma batalha épica que com certeza será lembrada por muitos e muitos anos. Era o que todos esperávamos e mais um pouco, uma verdadeira carta de amor aos fãs, leitores ou não de quadrinhos, que com certeza ficarão emocionados com a conclusão do que seria a adaptação da Saga do Infinito para as telonas.

O filme é um marco pelo que representa, mas é inegável que apresenta problemas técnicos, em especial em relação ao roteiro. São soluções convenientes que contam muito com a suspensão de descrença do espectador. Vingadores: Guerra Infinita é superior como obra, perdendo para Ultimato apenas nas cenas de ação, que são realmente memoráveis. Outro aspecto extremamente positivo do filme é o vilão. Thanos está ainda mais imponente e ameaçador. É seguro dizer que ele será lembrado por gerações, tal como Darth Vader.

Com um final explosivo e emotivo, e alguns deslizes ao longo do caminho, Vingadores: Ultimato encerra um ciclo para a Marvel e abre espaço para uma nova geração de heróis, concluindo de forma digna uma jornada construída ao longo de 11 anos.

NOTA FINAL: 8/10

Anúncios

1 comentário »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s