The Walking Dead chegou ao fim na edição #193 com um desfecho relativamente feliz e esperançoso para a humanidade, apesar da morte de Rick Grimes, qual se tornou um herói.

Porém, na carta que escreveu aos fãs nas páginas finais da última edição, o autor Robert Kirkman revelou que a série quase acabou anos atrás, na edição 72, com um final nada feliz.

O grande arco SEM SAÍDA terminou com Rick proclamando que Alexandria era um lugar pelo qual valia a pena lutar, que eles não podiam mais continuar se movendo de um lugar para outro… que eles tinham que se posicionar, estabelecer raízes e começar a construir a partir daí. Seus dias nômades haviam ficado para trás.

“Bem, por anos… isso foi planejado para ser… o final. Rick faria sua proclamação, e o discurso terminaria com um grande close-up em seu rosto. Você viraria a página e veria o mesmo rosto de Rick, só que em uma estátua. Então o zoom iria diminuindo e mostraria a estátua completa com algumas trepadeiras crescendo por ela… rachaduras se formando… e você perceberia que era uma estátua bem ANTIGA.

Continuaria diminuindo o zoom até que veríamos que a estátua estava em Alexandra, no mesmo lugar onde ele proferiu o discurso, mas era diferente. Tudo estava velho e desgastado, janelas quebradas e portas faltando. Continuaríamos diminuindo o zoom até ver um zumbi passando por ali, depois outro… e veríamos que Rick realmente reconstruiu a civilização a ponto de construírem uma estátua para homenageá-lo… mas no fim, os mortos venceram, a sociedade desmoronou novamente, desta vez aparentemente para sempre… e era isso.”

Dessa forma, não teríamos momentos icônicos como a morte de Glenn e nem personagens como Negan, Alpha e os Sussurradores.

The Walking Dead #193, a última HQ da saga, foi lançada hoje, 3 de julho nas lojas de quadrinhos norte americanas.

Anúncios

Deixe uma resposta