O ano é 1977. Seu sobrinho juntou-se a um culto religioso e se mudou com os demais membros para a selva sul-americana, para fundar a Cidade da Liberdade. Cabe a você se infiltrar na comunidade, descobrir o que realmente está acontecendo e decidir se precisa ou não resgatar seu sobrinho.

The Church in The Darkness é desenvolvido pela Paranoid Productions e já está disponível para PC, Switch, Xbox e Ps4.  Confira trailer abaixo:

O jogo é baseado nos contos de Jonestown (um dos melhores da atualidade, na minha opinião). Já vimos pequenas menções à estes contos em jogos com FarCry 5 e BioShock. Na maioria das vezes, o conto trata de um líder carismáticos que fala sobre o caminho para o paraíso, mas  precisa deixar um rastro de sangue no caminho por conta de um ritual ou algo do tipo. Os jogos que citei, fazem pequenas passagens sobre estes contos, mas The Church In The Darkness é totalmente movido pelos contos de Jonestown e isto é uma novidade nos jogos de terror, o que torna o jogo bom na teoria, mas vamos falar um pouco do jogo, na prática.

GAMEPLAY

O jogo se trata de um Thriller Furtivo. Maior parte do game você terá que andar pelo estado de Bautella sem ser visto por guardas e integrantes da sociedade religiosa, indo atrás de pistas para entender o que se passa na igreja e descobrir como resgatar teu sobrinho Alex.  Cada escolha altera o curso do jogo e a prova disto é que o jogo possui DEZENOVE FINAIS DIFERENTES!

church_in_the_darkness_0

Os gráficos simples e a mecânica engessada são um problema pra grande maioria, mas se você curti uma boa história este é um bom jogo. A riqueza de detalhes na história do jogo é um prato cheio, claro que os melhores finais são os mais difíceis de se fazer pelo fato de exigir uma sequência de ações em ordem cirúrgica. Alguns personagens te dão missões secundárias que também ajudam na hora de obter um desfecho diferente.

church-in-the-darkness-01-review

Como já deve ter percebido, você terá que zerar o jogo dezenove vezes se quiser conhecer todo o conteúdo. Algumas partes se tornarão repetitivas e isso reduz ainda mais o encanto do jogo.

RESUMO

Se você curti uma boa história de terror, mas se tomar nenhum susto, esse jogo é bom pra você (desde que você seja fluente em inglês, se não esquece). Se teu objetivo é jogabilidade ou um belo gráfico, passe pro próximo.


PONTOS POSITIVOS

+História com ótima base e bem executada

+Variedade de desfecho com dificuldade variada


PONTOS NEGATIVOS

-Mecânica engessada

-Gráfico super simplista

-Repetitivo ao longo do tempo

-Exige um Inglês muito fluente


NOTA FINAL:4,5/10


Jogo fornecido, digitalmente, para Switch.

Anúncios

Deixe uma resposta