Pixel Ripped 1995 é um jogo de VR com inspiração retrô, desenvolvido e publicado pela ARVORE Immersive Experiences, e lançado para Microsoft Windows e Playstation 4 no dia 23 de abril de 2020.

“Pixel Ripped está de volta com um novo jogo de realidade virtual alimentado por nostalgia, desta vez no ano de 1995! Para restaurar o equilíbrio em múltiplas dimensões, nosso herói de videogame Dot recruta a ajuda do melhor jogador de 1995, um garoto despretensioso de 9 anos chamado David. Junte-se a essa improvável dupla, através de desafios desafiadores, a todos os seus clássicos favoritos da era dos jogos de 16 e 32 bits em um mundo de realidade virtual, enquanto enfrenta os desafios da vida real de uma criança que apenas quer salvar o mundo fazendo o que ele faz de melhor: jogar videogame.”sinopse do site oficial do jogo

Gostaria de iniciar este review agradecendo a ARVORE Immersive Experiences por me fazerem sentir como uma criança novamente. Este jogo é pura nostalgia, e é como embarcar numa viagem ao passado, e relembrar os tempos de criança em frente aos consoles e portáteis clássicos.

A propósito, o jogo é uma continuação direta de Pixel Ripped 1989, e foi desenvolvido totalmente por brasileiros, apesar de ser totalmente em inglês. Aqui assumimos novamente o controle Dot, a heroína do primeiro jogo. Ao que tudo indicava, não haviam mais problemas no universo pixelizado, mas o terrível Lord Cyblin rouba novamente a Pedra Pixel com a qual ele pretende invadir o mundo real.

pixel ripped

Este jogo VR simula você no papel de um garoto chamado David, que controla a personagem Dot. Aqui temos um estilo de jogo que eu definiria como: um jogo dentro de um jogo. O natal está quase chegando, e David quer ganhar um novo console chamado Ultimate 32.

O pai do garoto também curte videogames, mas sua mãe insiste que esse estilo de entretenimento é prejudicial a ele. Talvez seja mais fácil ganhar o novo console vencendo um campeonato de arcade da cidade, pois este é o prêmio caso vença.

Enquanto isso, ele deve ajudar Dot a salvar os universos e a única maneira de fazer isso é perseguir o Lord Cyblin através de diferentes videogames, derrotá-lo e recuperar a Pixel Stone para trazer harmonia entre o mundo real e o virtual.

Aqui não temos movimentação livre, e ainda assim a imersão é total devido à integração da seção audiovisual com a narrativa do jogo. Como eu disse anteriormente: é como viajar ao início dos anos 90. Há uma excelente recriação dos jogos daquela época, tanto na questão sonora, quanto graficamente, além de um roteiro cheio de situações e diálogos realmente divertidos.

Honestamente, eu não lembro de ter jogado algo parecido com isso na minha vida. Apesar de não ter jogado o primeiro, sinto que Pixel Ripped 1995 foi uma experiência totalmente original, imersiva e principalmente nostálgica. É o tipo de jogo em realidade virtual que eu definitivamente indicaria a qualquer pessoa.


Prós

+ Experiência totalmente nostálgica

+ Ambientação gráfica muito bem construída

+ Personagens divertidos

+ Trilha sonora gratificante


Contras

– Nada a relatar



NOTA FINAL: 10.0 / 10.0

Jogo analisado no PlayStation 4 PRO com código fornecido pela ARVORE Immersive Experiences.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s