Humankind é um jogo de RPG no estilo 4X desenvolvido pela Amplitude Studios, e com a previsão de lançamento para março de 2021. Disponível apenas para as plataformas Windows e Google Stadia, o jogo entra em uma aventura histórica onde será necessário muito pulso firme para expandir e gerenciar seu império.

Seu objetivo nesse jogo é evoluir sua civilização ao longo do tempo, ao qual o jogo deu o nome de “Eras”. Você começará no período neolítico com povos nômades, e então passará pela Era Antiga, Clássica, Medieval e Moderna (início). Com um sistema de pontuação e metas a bater você pode progredir em vários aspectos, como número de territórios anexados, população, reserva de dinheiro, seguidores da sua religião, ou até o número de descobertas científicas. Com o acúmulo dessas categorias você conseguirá avançar para a próxima Era, que você escolherá quando chegar o momento da transição.

Os tutoriais acontecem durante a própria gameplay, o que faz com que tenha uma quantidade muito grande de informações na tela ao mesmo tempo. É possível pular esses tutoriais e voltar a fazê-los quando for necessário, além de todos os ícones terem uma explicação junto a eles da função que exercem.

O sistema de combates também funciona por turnos, porém durante o conflito o jogo basicamente congela, para que toda a atenção do jogador fique na batalha. Assim que começa, é possível distribuir suas tropas dentro da área de combate. A geografia do local é levada em consideração na hora de calcular o dano. Outra opção é usar o botão “batalha automática”, onde a IA do jogo é a responsável por tomar suas decisões.

Além do transporte por terra, os reinos podem optar por ter frotas de barcos. Durante a prévia jogada não foi possível saber se os barcos vão cruzar o mar, ou se servem apenas para atravessar pequenos trechos. Como os barcos carregam até 4 tropas, é preciso se especializar no combate marítimo.

Durante o jogo será necessário decidir alguns princípios que seu povo deverá seguir. Algum tema aparecerá na tela e você escolherá como pretende prosseguir com aquele tópico. Por exemplo: a sua religião. Caso você escolha ser monoteísta, seu povo seguirá esse dogma, e os governantes das regiões fronteiriças, podem concordar ou não. Deve ser dada atenção à qual religião seus vizinhos seguem, porque caso eles estejam muito próximos a alguma cidade sua, longe da capital, seus habitantes sofrerão influência e poderão até se revoltar contra você. 

Dependendo do zoom dado no mapa o game possibilita você analisar a geografia do local. Estou falando de oceanos, rios, montanhas, vales, planaltos e planícies. Como já era de se esperar, é preciso levar esses aspectos em consideração na hora de construir algo ou mover suas tropas. Como o jogo é em turnos, se você tiver que dar a volta em uma montanha, por exemplo, levará mais jogadas para chegar ao destino.

É muito comum fazer alianças com os “países” vizinhos, porém não é todo regente que está disposto. O game permite saber como está o humor dos outros líderes em relação a você, e palavras como “desconfiado”, “hesitante”, “amigável” ou até “agressivo” devem ser estudadas na hora de fazer um pacto. Inclusive, caso o governador vizinho não estiver muito interessado em conversar, você pode piorar a situação ao pedir a ele para que abra suas fronteiras, ou que troque mercadorias.

Quanto às guerras, o jogo traz algo chamado “war desire”, que representa o quanto algum líder está disposto a ir ao combate. Esse medidor muda dependendo do seu relacionamento, das suas alianças com algum inimigo ou aliado desse líder, de alguma traição sua, ou simplesmente por estar muito próximo às terras dele. Para iniciar algum combate sem motivo aparente é preciso ter um “war desire” mínimo, mas caso você seja invadido, ou algo parecido, é perfeitamente normal o inimigo sofrer retaliações. Essa mecânica deixa o jogo mais pacífico, com foco nas alianças entre os países.

Com a evolução da sociedade é necessário que a ciência evolua com ela, e os desenvolvedores optaram por disponibilizar áreas de pesquisa para focar durante a trajetória. Para os jogadores que decidirem que a diplomacia é a solução, o foco pode ser em filosofia. Já para quem gosta mais de expandir na base do confronto é possível desenvolver lanças, carroças, catapulta, e etc. Assim será necessário que você tenha desenvolvido alguma tecnologia para continuar se adaptando.

CONCLUSÃO

O jogo utiliza diversas variáveis para deixar a aventura o mais fiel o possível à realidade, conseguindo trazer uma gameplay extremamente estratégica mas ao mesmo tempo leve. O fato de ser por turnos acaba dando tempo para o jogador pensar antes de agir, planejando cada passo. A versão jogada foi limitada a apenas 150 turnos, mas já foi possível seguir táticas diferentes de ataque e defesa, podendo agradar diversos tipos de players.

PONTOS POSITIVOS

+ Liberdade para o jogador;

+ Variáveis que deixam o jogo mais realista.

PONTOS NEGATIVOS

– Falta de exploração marítima.

1 comentário »

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s