Flor de Lótus é um livro fantasia sombria, escrito por Silvio Acioli. Foi publicado pela Editora Coerência, no ano de 2021

“Em um mundo caótico, no qual criaturas sombrias buscam ascender e dominar a Terra, o senhor das trevas descobre que precisa de um elemento importante para o cumprimento de uma profecia que dará fim à soberania daqueles que por vários séculos foram idolatrados: os deuses. Com o apoio de Beatriz, última remanescente de uma ordem antiga conhecida como Éden, criada há milênios em uma sociedade entre anjos e demônios com o propósito de manter o equilíbrio entre os mundos, o senhor das trevas tenta despertar a profecia. Juntamente com alguns seguidores, Beatriz precisa encontrar a chave para o grande plano funcionar. E, embora não tenham tantas pistas, ela tem um nome: Joana.” – Sinopse do livro.

Para mim, foi quase impossível redigir uma análise do livro Flor de Lótus sem acabar revelando tudo, então a fiz com o máximo de cuidado, sem contar muito sobre a história e suas reviravoltas. Vale ressaltar que esta é minha primeira análise de um livro, e que também já faz alguns anos que não leio um livro de ficção.

O autor, imbuído de referências de outros livros, filmes e principalmente jogos de fantasia e terror, criou aqui um paralelo entre vida e morte, céu e inferno, onde este último se choca com a nossa realidade, contada de uma maneira que eu jamais havia visto. Fãs do jogo Silent Hill 2 provavelmente vão se identificar demais com este livro, assim como eu me identifiquei, e apesar de diversas diferenças criativas, este livro trata principalmente de assuntos como: relacionamento tóxico, depressão e suicídio.

A história começa introduzindo uma jovem garota, chamada Joana, que é sempre muito mal tratada pela mãe. Sem delongar demais, ela se perde em um abismo em sua própria mente, logo que vai ao banheiro, do lado de fora da casa em que mora. Tudo começa a se desmontar, fazendo com que ela vivencie coisas sem sentido, frutos de um possível pesadelo terrível.

Mais além, é introduzido outro personagem, chamado Javier, que é um arqueólogo fracassado. Ele está trabalhando como guia turístico, em uma expedição na região de Mahas, no México, e após uma das turistas perceber uma farsa em sua fala a respeito da cultura local, uma briga generalizada se inicia entre todos eles, e um dos turistas simplesmente enlouquece e passa a matar todos o grupo. Javier, com algumas mulheres e crianças conseguem abrigo em uma caverna escura e aparentemente sem saída. Mal sabiam eles que o pior ainda estaria por vir.

Em meio a isso temos também uma entidade infernal e poderosa chamada de Ariev, que posteriormente aparece para Javier, revelando-se o pai de Joana, e ao mesmo tempo um “controlador” da vida e morte da mesma. Por sua causa, Joana sempre morre e reencarna, ao longo do tempo, no corpo de outra pessoa, todas as vezes do sexo feminino. Ariev é também o criador das “crianças das trevas”, os últimos de uma Ordem chamada Éden, que segundo ele, acabarão com todos os humanos da Terra.

Este livro possui uma ótima reviravolta ligando uma morte por suicídio com os acontecimentos contados acima. Como essa loucura toda se encaixa, só é revelado no final, mas garanto que fará bastante sentido, embora o livro tenha deixado de explicar algumas coisas, que podem ser consideradas pontas soltas para uma possível continuação.

Não sei dizer em quanto tempo este livro foi escrito, mas senti na escrita em diversos momentos, passagens que as vezes pareciam ter sido escritas por dois autores diferentes. Ou como se o autor tivesse amadurecido a ideia geral conforme chegava na reta final do livro, mas não quis voltar para alterar.

Em alguns momentos, percebi uma certa falta de ousadia do autor na escrita das falas dos personagens. Senti como se algumas falas estivessem muito artificiais, pouco críveis e mal elaboradas, enquanto em outros momentos estavam totalmente sérias e bem alinhadas com a história, remetendo ao que eu comentei logo acima sobre parecer que o livro fora escrito por duas pessoas distintas, embora eu tenha certeza que seja apenas um caso de amadurecimento de escrita, e por ser tratar do primeiro livro publicado de Acioli.

Devo dizer que tenho bastante dificuldade em me penetrar totalmente na história de um livro imaginando as coisas em minha mente, conforme descritas, porém aqui me vi totalmente imerso em cada momento. Não tenho este tipo de conexão com uma leitura desde que li “O Senhor dos Anéis”, quando era apenas uma criança. As partes de terror, apesar de não terem me causado nenhum medo ou aflição, são muito bem descritas, e certamente me impressionaram pela criatividade.

Não obstante, sob este prisma concluo que apesar de algumas leves falhas de enredo e alguns erros de escrita, este livro tem muito mais acertos, principalmente em seu espetacular ato final, com uma reviravolta que me deixou pensativo por horas, além de revelar e explicar a total confusão do início da história. É um livro com escrita pesada, certamente para o público adulto e além de já ter se tornado um dos meus favoritos, será um livro que sempre indicarei para meus amigos.

NOTA: 9,5

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s